ÁGUIA DOURADA

ÁGUIA  DOURADA

Todas as matérias podem ser veiculadas, desde que citada a fonte.

quinta-feira, 28 de março de 2013

A NOVA CONSCIÊNCIA E O CÉU DA ÁGUIA DOURADA



Um dos documentários mais populares na intenção de difundir a mentalidade da Era de Aquário foi “O Segredo”, formulando verdades de uma forma um pouco destorcida, quase que oferecendo uma espécie de varinha de condão que tudo transforma e sonhos realiza.



Desde que o trabalho de Einstein fez desabar o Universo mecanicista, começou-se a pressentir a realidade de um Universo inteligente, cujas partículas elementares reagem até ao pensamento – que é energia.  O físico Heisenberg, no início do século XX, já supunha que o ato da observação e da intenção afetavam diretamente o comportamento e a existência dessas partículas. Mais tarde, John Bell demonstrou com seu famoso teorema que “as entidades atômicas, uma vez conectadas, assim permanecem”. Hoje em dia, com a teoria das supercordas, já concebemos um Universo de múltiplas dimensões, reduzindo a pura vibração a matéria nas suas diversas formas.




Se o filme “O Segredo” é simplório e exagera um pouco quanto ao resultado concreto das suas afirmações, não está totalmente errado. De acordo com a física moderna, por trás das aparências do nosso mundo há, de fato, uma teia de relações de energias que se interligam.

Segundo o biólogo Rupert Sheldrake, as formas biológicas são criadas e sustentadas através de campos morfogênicos que estão sempre evoluindo e se transformando para criar determinada forma de Vida. Cada geração é estruturada por ele, acompanhando suas mudanças, à medida que ele responde as demandas do meio. Isso explicaria a evolução social dos seres humanos, saltando etapas em conjunto, rumo a realização de mais um degrau no seu potencial . Por isso, invenções e descobertas não raro ocorrem simultaneamente através de indivíduos sem contato entre si.

Podemos observar na História um nível de capacidade e de consciência coletiva que definimos como campo morfogênico comum, embora outras mentalidades recessivas dele compartilhem, da mesma forma que, por ex., neandertal e homo sapiens sapiens um dia coabitaram.

Então, o campo morfogênico que atualmente impulsiona a nossa geração, demanda uma Nova Consciência, ciente de que no Universo estamos todos intimamente ligados uns aos outros e que a influência dos nossos pensamentos, transcendendo os limites de tempo e espaço, é muito mais poderosa do que se poderia supor.

No entanto esse pensamento, para reverberar e se manifestar no âmbito material, deve estar em consonância com a Suprema Lei Universal e não, simplesmente, ter como objetivo satisfazer os seus desejos pessoais (como, conforme o filme, conseguir um bom emprego, possuir um carro de luxo, ter muito dinheiro, etc.).

Se por um lado, o Universo invariavelmente nos responde, é preciso que se mantenha a neutralidade, confiando que o melhor / mais apropriado sempre acontecerá, de acordo com as Leis cármicas universais, que, por sua vez, são moldadas pelas nossas atitudes pessoais e coletivas.



Partindo do fato que o Universo nos responde e que nossa energia pessoal sempre se direciona para onde voltamos a nossa atenção, a nossa prática cotidiana deve estar permanentemente voltada para a intenção positiva de jamais alimentar o negativo, jamais abrir brecha para a poluição mental que possa vir acabar manifestando efeitos indesejados no plano físico.



À medida que nosso Trabalho prossegue, tanto com o auxílio da nossa valiosa Planta de Poder, como principalmente integrando na prática constante (na vigília e no sono) o que Ela nos ensina, podemos galgar um nível de Consciência onde, cada vez mais, enxergamos a autêntica substância no campo energético acima da ilusória matéria sólida.

Nesse patamar, torna-se evidente a irradiação de influências de mão dupla: a maneira como somos influenciados e como também influenciamos as pessoas. Por isso, na nossa atitude e intenção com relação aos outros, é importante estarmos cientes de que nos elevamos quando elevamos os outros e nos rebaixamos quando direcionamos nossa atenção para o que não traduz positividade, perdendo precioso tempo apontando os defeitos dos outros.

O pensamento derrotista da separatividade, a crítica invejosa, as disputas de ego e sobretudo a fofoca “inocente” são o mais nocivo espelho onde o desavisado encontra o abismo sombrio e, muitas vezes, acaba se enredando na derrota da missão de uma encarnação inteira.




 A missão do Céu da Águia Dourada é facilitar a assimilação da Nova Consciência, fornecer subsídios para um melhor entendimento do drama humano e a realização bem-sucedida da nossa trajetória na Existência Eterna.

Nossos Trabalhos foram, nesta última fase, direcionados para a dissolução dos nós que nos aprisionam em círculo vicioso,  para transformar as armadilhas da sombra em oportunidades criativas de ascensão.

 

Como tudo é dinâmico no Universo, nosso 12º ano de atividades vem reafirmar o alinhamento que caracteriza, de forma cada vez mais efetiva, o Céu da Águia Dourada como um verdadeiro pontinho de Luz Divina, pautando a nossa ação em prol da implementação desta Nova Consciência. Uma Nova Consciência que possa traduzir, na prática, o programa da Era de Aquário na Terra.