ÁGUIA DOURADA

ÁGUIA  DOURADA

Todas as matérias podem ser veiculadas, desde que citada a fonte.

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

A NOVA ORDEM CÓSMICA

A história remota do nosso planeta já atravessou, ao longo dos seus 4 milhões e meio de anos, Idades de Luz e Idades de Treva – ciclo do qual estamos saindo e que na linguagem das sagradas escrituras hindus denomina-se kali yuga.
O momento atual vem sendo assolado por presságios apocalíticos que chegam a profetizar a total destruição do planeta.
A descoberta da fissão nuclear que resultou na explosão de bombas atômicas marcou o início do período de transição para uma nova Era de Luz na Terra. Desde então, a Terra passou a ser preparada para uma nova etapa na sua e na existência dos habitantes que hospeda.
É óbvio que a Terra, como qualquer outro corpo celeste, não está entregue à revelia dos seus habitantes, para que dele e nele façam o que bem entenderem. Na Terra o livre-arbítrio dos humanos é soberano, no entanto, as guerras, as grandes descobertas científicas e catástrofes naturais ocorrem com o aval do verdadeiro Governo Interno, composto por Seres Ascencionados de Luz, responsáveis dor sua evolução desde os primórdios.
Em decorrência das ondas de energia de frequência mais elevada que passaram a ser emitidas por este Comando planetário, algumas pessoas vem se sintonizando com essas vibrações positivas, percebendo no seu íntimo uma espécie de “chamado para a Luz”.



Influenciadas por esse Chamado Interno, dedicam-se mais efetivamente a uma busca de valores espirituais, numa indagação sobre a sua natureza, procedência, verdadeiro propósito de estar aqui e do conhecimento sobre nossa verdadeira origem - a da nossa parte imperecível. Isto levou a mudanças na sua maneira de ser e, através de uma nova forma de ver o mundo, alinhamento com uma mentalidade diversa da vigente nas mídias.
À medida que mais se conectam com essa nova frequência, mais positivas se sentem e efetivamente vão se transformando.

Em contrapartida, conforme dizia Sathya Sai Baba, “quando aumentamos a intensidade da luz, também aumentamos a intensidade da escuridão - o que explica o aumento de violência irracional nos últimos anos” .

Então, a esmagadora maioria da população terrestre encontra-se cada vez mais inebriada e identificada com a ilusão densa do mundo material ( que, por sua vez, se torna dia a dia mais fascinante e encantador, com suas possibilidades aparentemente ilimitadas), comprometida com as forças involutivas que, por sua vez, também se auto-alimentam e fortalecem, atraindo o nascimento de seres primitivos, identificados com essa escuridão.
Essa treva crescente se alastra e permeia "felicidades" nunca satisfeitas e desejos insaciáveis que cavam um buraco ilimitado de ansiedade egoista, para culminar nas drogas, na ganância, na violência gratuita. Seres robotizados, nervosos e insensíveis que elevam a estatística dos crimes e dos acidentes.



Neste estágio caótico de preparação para a intervenção direta que está por vir na Nova Ordem Cósmica para a qual o planeta se prepara, torna-se bem evidente essa ruptura. Dois mundos absolutamente contrários convivem no mesmo espaço/tempo.
Pessoas que se afundam, de forma irreversível, na escuridão das suas almas até se autoconsumirem e outras que se percebem seres em plena evolução, alinhando-se rumo a mais um passo em direção a sua eterna jornada, segundo os desígnios do Grande Mistério e conscientes da sua natureza como poeiras estelares transmigrando de mundo em mundo.

Até que a grande mudança ocorra, catástrofes prosseguirão varrendo a Terra diariamente. A única forma segura de se passar ao largo e não ser arrastado para acidentes perversos ou ataques nefastos que, muitas vezes, nem estavam no nosso desígnio cármico, é o trabalho no exercício do autoconhecimento para, consumindo as trevas interiores, estar em condição de assegurar uma conexão mais compatível com as frequências de Luz para cá enviadas.
A Nova Ordem Cósmica trará para os habitantes da nossa linhagem neste orbe, mais um ciclo de progresso real e menos doloroso, baseado na cooperação solidária, sem necessidade de legislações restritivas e punitivas.
Neste novo patamar evolutivo, quem a ele se alinhar poderá experimentar a real felicidade de vivenciar e integrar a rede do Poder Universal infinito, onde todos estão em um e cada um está em todos, transitando pela eternidade. 

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

ILUMINANDO A SOMBRA - 3

“ A projeção no nível do ego é facilmente identificável: se uma pessoa ou coisa, nos acusa, provavelmente não estamos projetando. Se nos abala, há boas chances de que sejamos vítimas de nossas próprias projeções”.
Ken Wilber – Encontrando a Sombra


Um dos artifícios mais enganosos - e engenhosos - da nossa sombra para manutenção da zona de conforto do auto-engano é a projeção. Trata-se de uma transferência inconsciente de comportamentos nossos para outras pessoas, fazendo-nos repudiar essas características, acreditando que são estranhas a nós mesmos.
Aspectos da nossa personalidade que nos parecem inaceitáveis e que não gostaríamos de assumir, são atribuídos a objetos externos ou a outras pessoas.
Sempre que algo nos aborrece ou perturba profundamente, é porque não estamos querendo assumir esse aspecto em nós mesmos. Isto porque uma considerável carga emocional gerada pelo comportamento da outra pessoa só nos afeta quando mentimos para nós mesmos, detestando e procurando ocultar e ignorar essa mesma característica.
Tudo o que gera indignação, principalmente os preconceitos inexplicáveis, refere-se a algum aspecto não ou mal resolvido de nós mesmos.
Esse processo se inicia, em geral, simultaneamente a confecção das máscaras que passamos a usar para encobrir partes de um verdadeiro Eu que, tememos, não obtenham a aceitação/admiração geral. Projetamos nos outros as nossas deficiências inconfessadas e, muitas vezes, dizemos a eles o que seria mais apropriado dizer a nós mesmos.
Nada do que dizemos ou fazemos é acidental. No universo holográfico estamos em tudo e tudo está em nós.
Sempre que julgamos alguém, seria importante ter a lisura de examinar com toda sinceridade e nos indagar se ele não poderia ser atribuído a nós mesmos. Como diz o ditado popular, “quando apontamos o dedo para acusar alguém, há três dedos voltados para nós”.


É nesta oportunidade que a Ayahuasca, com sua clareza e imparcialidade, permite que nos perguntemos, na intimidade do Ser: - quando fui assim ou agi dessa mesma forma ?




Vivemos diante de espelhos – as outras pessoas - que refletem emoções, comportamentos e sentimentos que procuramos esconder.
A Ayahuasca é capaz de iluminar esses aspectos para que possamos reconhece-los e recuperá-los.
Uma vez que incorporamos determinada característica, outras pessoas que a compartilham já não estabelecerão um vínculo conosco, deixando de nos afetar.
È importante também observar a projeção de aspectos positivos que detectamos nas outras pessoas. Sua inteligência, sua beleza, seu poder, seu sucesso. Se queremos “ser” como a outra pessoa é porque dispomos de potencial para também sermos assim. Neste caso, a tarefa será descobrir, desvelar no nosso interior aquela mesma faceta, ainda que em estado bruto.
Procurando viver a altura do nosso potencial total, não precisaremos projetar os aspectos daqueles que o conseguiram. Desconectando deles esses aspectos, poderemos retomar a sua posse e, através de uma plena realização, ficaremos cada vez mais centrados em nós mesmos, ao invés de nos ocuparmos dos outros – sejam eles objeto de repulsa ou admiração.
O que nos abala emocionalmente – seja positiva ou negativamente - pode transformar-se num catalisador para o nosso crescimento.
A projeção é um artifício benéfico, capaz de revelar aspectos nossos que talvez permaneçam ocultos durante toda a vida. Recuperando esse determinado aspecto, temos a possibilidade de integrar a totalidade do nosso Ser.