ÁGUIA DOURADA

ÁGUIA  DOURADA

Todas as matérias podem ser veiculadas, desde que citada a fonte.

sábado, 20 de agosto de 2011

ESPIRITUALIDADE E INICIAÇÃO

A busca do Êxtase Sagrado sempre esteve ìntimamente ligada à prática iniciática, em todas as tradições espirituais das mais diversas civilizações da Terra.
A iniciação significa admissão aos Mistérios confiados a determinadas Hierarquias que tinham nos hierofantes os responsáveis por determinados ensinamentos e práticas.
Quando mencionamos Espiritualidade, fica bem claro que não se trata aqui de um fazer solitário apoiado por convicções individuais, pois ninguém nasceu “ pronto” e a evolução humana tem sido uma longa corrente onde cada elo tem o seu papel importante e impulsionador, para que cada um vá mais adiante.
A caminhada individual baseada num saber auto-promulgado não leva o buscador muito longe. Mestres sempre existiram e foram essenciais para a formação do ser humano na sua escalada evolutiva.
Muitas iniciações aos Mistérios se perderam com o declínio das diversas civilizações e outras se mantiveram secretas, em virtude da perseguição promovida pelas igrejas cristãs. Por outro lado, após este período de obscurantismo, a Era de Aquário vem reavivar e popularizar populares essas práticas, tornando mais abrangente a sua atuação.
Embora cada Ordem ou Linha Iniciática tenha sua identidade própria, os propósitos são semelhantes. A finalidade principal de uma iniciação é o processo de expansão de consciência, fazendo com que os corpos se alinhem para se tornarem extensão das energias criadoras na Terra. Iniciações são marcos na trajetória da consciência rumo a sua origem. É um caminho de transcendência das limitações materiais para acesso a níveis suprafísicos, superiores.
Seus rituais são cerimônias de “passagem” que permitem ao neófito adentrar uma realidade até então desconhecida. Neles ele terá oportunidade de demonstrar uma série de atributos e o comprometimento em estudar e praticar os princípios ali apresentados.
Dele espera-se que mantenha o discernimento necessário para fazer desabrochar sua inteligência espiritual e exercer sempre a liberdade do seu livre-arbítrio. Embora respeitando e submetendo-se à hierarquia dos seus maiores, só o domínio pleno de si mesmo através do auto-conhecimento e a liberdade da sua alma poderão fazer frente aos embates com as forças ocultas com as quais frequentemente se defrontará.
Embora iniciado, sòmente a vivência prática que o tempo traz, fará dele um verdadeiro adepto.
OS RITOS AFRICANOS
A influência da religiosidade africana no Brasil, embora reprimida durante séculos, ainda é a mais fascinante para aqueles que dispõem de alguma inclinação para o misticismo. No Brasil fala-se muito em “Orixá”, embora de uma forma deturpada e impregnada de sincretismo, ignorando completamente do que se trata exatamente essa avassaladora energia da Natureza.
Existem dois tipos de iniciação: a de Ifá – que faz do iniciado um devoto estudioso e mais tarde sacerdote do Orixá Orunmilá e a mais popular, que seria aquela conhecida como “raspar o santo” . Esta propicia a manifestção física da Energia Divina que lhe proporcionou a Vida na atual encarnação.
Corpo físico, mente e alma são preparados ritualísticamente, fazendo desabrochar nos recessos do inconsciente esse arquétipo da Natureza que se chama Orixá, e induzindo o iniciado ao transe nas suas variadas formas e graus.
O objetivo é que, através deste rito de passagem, o iniciado renasça mais integrado ao seu Princípio Divino, abandonando traumas e bloqueios do seu ego, em busca de uma melhor realização pessoal. Trata-se de uma longa e fascinante trajetória de sacrifício, aprendizado e diário contato com o Divino.
Como plena competência e honestidade se fazem necessárias para um bom resultado deste difícil e complexo procedimento, poucos são os sacerdotes de raiz africana capacitados para levá-lo a termo. De minha parte, posso recomendar a Casa em que me iniciei (WWW.efunlase.com) - pelas mãos do Obaala Oluwo Olori Obatala Efun Awo Peju Ifarunaola - como das mais idôneas e eficientes. Uma Casa de Força, um Ilease onde se pode dizer que o acesso ao Divino realmente acontece quase que “ em linha direta”.
Muitos, fascinados pela alta Magia que realmente se manifesta, se encaminham a este ramo iniciático apenas com o intuito de serem bem sucedidos nas suas vidas materiais.
É óbvio que esta simplória intenção não deve ser a mola propulsora para que o indivíduo se inicie. Não que os sucessos materiais não ocorram, mas ocorrem como mera conseqüência de uma manipulação de energia que, equilibrada, resulta na plena manifestação de toda a positividade do destino da pessoa.
Este é objetivo vazio que ilude e embota a razão maior de ser de uma iniciação e busca espiritual, deixa muitos perdidos no meio do caminho, convencidos de que é aí que reside a sua verdadeira vitória.
Orixá é uma poderosíssima energia Divina e, embora manifestada também no plano físico das nossas existências, é um mistério que paira muito acima das nossas questões cotidianas e é capaz de nos levar a conhecimentos e paragens indescritíveis.
A INICIAÇÃO XAMÂNICA
Todas as tradições xamânicas, da Sibéria à Austrália, da Patagônia ao Alasca, sempre tiveram os seus rituais iniciáticos.
Na linha neo xamânica do Céu da Águia Dourada também não poderíamos deixar de ter o nosso rito de passagem, vinculado a atuação das hierarquias intra e extraterrenas.
Embora sendo uma Casa primordialmente vinculada ao Poder Supremo dos Orixás Obatalá ( o mesmo Sol dos ritos egípcios) e Oyá ( o Poder da eterna transformação Senhora dos Ventos das Quatro Direções), a nossa iniciação é voltada para uma maior integração do iniciando com o seu self.
Visa o aprofundamento do auto conhecimento e contato com o seu Eu Divino.
Nosso patrono, Mestre Saint Germain, contribuiu com práticas ligadas à respiração e visualização nos cristais.
Como em todo rito de passagem e com o auxílio da nossa Sagrada Bebida Ayahuasca, “morre”-se para velhos vícios e obsoletos hábitos que emperram a nossa verdadeira evolução.
À partir da iniciação, o membro da Casa passa a ter um aprofundamento e acesso mais direto a egrégora da Águia Dourada e sua área de atuação, estando apto a participar, servir e ao mesmo tempo se beneficiar dos nossos trabalhos mais transcendentes, no universo infinito da Planta de Poder.
Da mesma forma que não convidamos pessoas a participar das nossas Jornadas, não induzimos os freqüentadores a se iniciarem. Trata-se apenas de uma oportunidade a ser aproveitada.
É importante observar que, independente da linha ou tradição espiritual, ser iniciado não outorga qualquer tipo de superioridade ou privilégio. Significa apenas maior abertura para aquisição de novos conhecimentos, mediante as provas que lhe serão sempre exigidas, além de maior responsabilidade com respeito as suas atitudes e fraquezas humanas.
Nos anais do Esoterismo aprendemos que, quanto mais graduado o iniciado / sacerdote, maior a sua responsabilidade e sempre presente a sua possibilidade de queda.